Carta Brasileira para Cidades Inteligentes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Em dezembro de 2020 foi lançada a Carta Brasileira para Cidades Inteligentes,com o objetivo de ajudar o Brasil a dar um passo firme rumo a cidades melhores para os cidadãos.

O documento foi muito aguardado pelo setor de inovação por oferecer um conceito nacional para o termo “cidades inteligentes“. Sendo um marco para a regulamentação de smart cities ao criar um padrão para as esferas públicas e privadas em relação aos direitos e aos deveres de cada um na requalificação dos municípios brasileiros.

A Carta apresenta oito objetivos estratégicos para a construção de uma agenda pública, comum e articulada. Uma das principais preocupações é quanto à acessibilidade da população às tecnologias e ao estabelecimento de sistemas com transparência, segurança e privacidade. Confira os principais pontos do documento.

  1. Transformação digital
    é preciso compreender quais são as mudanças impostas ao espaço urbano pela digitalização e de que formas ele responde a isso.
  2. Acesso a internet de qualidade
    O acesso à internet é um direito de todas as pessoas por meio do Marco Civil da Internet no Brasil, mas é importante desenvolver e implantar políticas, programas e projetos de infraestrutura e outros aspectos relacionados à inclusão digital, até mesmo com a instalação e a manutenção da infraestrutura necessária.
  3. Transparência na governança
    estabelecimento de sistemas de governança de dados e de tecnologias com transparência, segurança e privacidade.
  4. Inovação na gestão pública
    estabelece prioridade para a adoção de modelos inovadores e inclusivos de governança urbana para fortalecer o papel do poder público como gestor de impactos da transformação digital nas cidades.
  5. Desenvolvimento local e sustentável
    O documento planeja fomentar o desenvolvimento econômico local e estimular modelos e instrumentos de financiamento do desenvolvimento urbano sustentável no contexto da transformação digital.
  6. Educação e comunicação pública
    Um movimento massivo e inovador de educação e comunicação pública se faz necessário para maior engajamento da sociedade no processo de construção das cidades inteligentes. As ações devem atender a pessoas de todas as idades, gêneros, raças e classes sociais, fortalecendo sua autonomia.
  7. Avaliação contínua
    Todo o processo deve ser avaliado de forma constante, e para que isso aconteça é preciso construir meios de compreender os impactos da transformação digital nas cidades. A análise deve incluir os aspectos sociocultural, urbano-ambiental, econômico-financeiro e político-institucional.

Como diz nossa CEO Raquel Cardamone: Precisamos desmistificar o conceito de cidades inteligentes.E nossa plataforma pode ajudar sua cidade a se tornar mais sustentável e com maior qualidade de vida para o cidadão.

www.gov.br/mdr/pt-br/assuntos/desenvolvimento-urbano/carta-brasileira-para-cidades-inteligentes

RELATED CONTENT

Bright Cities in Saudi Arabia

Riyadh, capital and main financial center of Saudi Arabia uses the Bright Cities platform to diagnose the city and find solutions related to the environment