5G e IoT: o futuro é conectado

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

De aplicativos à objetos cotidianos, as cidades do futuro serão ágeis, compartilhadas e mais inteligentes do que nunca

Em todo o mundo, a quantidade de dados está crescendo 40% ao ano. A expectativa é atingirmos 44 zettabytes (ou 44 trilhões de gigabytes) até 2025. Para Oliver Gassmann, co-autor de “Smart Cities: Introduzindo Inovação Digital às Cidades”, sistemas de sensores estão se tornando mais inteligentes, mais baratos e mais integrados, gerando enormes quantidades de dados.

A Internet das coisas (IoT), que é a conexão dos mais variados equipamentos às redes de dados sem fio, ajuda a aproximar o mundo físico do mundo digital. Até o ano que vem, serão 50 bilhões de aparelhos conectados. Se a tecnologia mudou o mundo dos negócios imagina o que pode fazer com a gestão das cidades.

A realidade mostra que as cidades inteligentes já são bem mais concretas do que muita gente supõe. A chegada da rede 5G, que nos próximos anos estará disponível em diversos países, será a principal marca desta transição, pois irá facilitar e acelerar a interconexão entre pessoas e coisas. No 5G, os downloads são cinco vezes mais rápidos do que no 4G. Na prática, até geladeiras e tênis poderão gerar dados para serem utilizados. Nas ruas, carros autônomos estarão conectados a outros carros, pedestres, ciclistas, sistemas rodoviários e de transporte público, garantindo mais eficiência e a segurança de todas as pessoas envolvidas.

As smart cities foram tema da série Em Movimento, exibida pela Globonews. Também são o principal foco de trabalho da Bright Cities, plataforma que traça diagnósticos e soluções para que qualquer cidade se torne uma cidade inteligente.

RELATED CONTENT